• Modular Cursos

Planejando a Independência Financeira

Atualizado: Fev 2

Quer a alcançar a Independência Financeira? Siga os 7 passos essenciais para alcança-la.



A independência financeira para algumas pessoas remete a algo impossível, impraticável ou inviável, embora na verdade, alcançar a independência financeira seja perfeitamente possível, no entanto é um processo geralmente lento.


A variável mais importante neste processo é o tempo. Visualizar objetivos de longo prazo nem sempre é fácil, as pessoas são imediatistas, precisam de resultados rápidos, e não esperam maturar o conhecimento ou o trabalho e assim, esgotam antecipadamente as chances de cultivar boas praticas que poderiam recompensá-las no futuro de uma maneira muito mais frutífera do que o recebido no curto prazo.


Pois bem, se você almeja a independência financeira, antes de mais nada deve entender que o processo em seu início pode demorar a evoluir e que o seu objetivo precisa de um horizonte grande – longo prazo.


Não há uma “receita de bolo” definida, que se seguida fará você alcançar a tão sonhada liberdade. Entretanto destacaremos neste artigo alguns itens que com certeza são obrigatórios.

1 – Tenha prazer pelo Processo


“O trabalho que nunca se começa é o que mais demora para terminar”.

Esta frase pode ser entendida como um convite, comece agora, não espere o próximo mês ou ano, cada dia que passa é um dia a menos para atingir seu objetivo.


A liberdade financeira não se trata de ter milhões, bilhões em dinheiro na conta, ela ocorre quando é possível sobreviver sem a necessidade de depender da renda de um trabalho. Ou seja, não precisar de um salário para pagar as contas, mas sim ter uma geração de renda capaz de manter um bom padrão e qualidade de vida por tempo indeterminado.


É claro que para atingir este patamar, uma série de medidas e ações devem ser iniciadas, pois trata-se de um processo contínuo, onde traçar e cumprir cada etapa deste caminho é determinante para o seu êxito.


Trabalhar, estudar, planejar, colocar em prática tudo que aprender, e se necessário corrigir e redefinir o que for preciso. Estes pontos são fundamentais, requerem atenção e vontade própria, afinal a motivação pela conquista deve vir da votante de querer atingir o objetivo, por isso, destacamos: tenha prazer pelo processo! Principalmente porque ele vai contar a sua história, então que seja contada com o entusiasmo de quem evoluiu constantemente durante este período.

2 – Entenda e Controle suas Finanças

Todo planejamento financeiro considera os gastos mensais, por isso é imprescindível determinar exatamente o quanto você ganha e gasta durante um mês.


Há diversas maneiras de determinar estes valores. Planilhas, aplicativos e até um papel e uma caneta são suficientes para esta tarefa. Procure anotar as entradas (salário, mesada, renda extra) e as saídas de dinheiro (Aluguel, energia, lazer), organize estas anotações e obtenha o resultado. E aí, está sobrando ou faltando dinheiro no final do mês?


Essas informações são fundamentais para identificar padrões de gastos, quais são críticos e onde podem ser contidos. Deste modo o objetivo é obter um bom padrão de vida conseguindo poupar para investir na independência financeira.

3 – Se Pague Primeiro

Este ponto é importantíssimo e muitas vezes negligenciado. Por quê suas dívidas de cartões, roupas, carros são mais importantes do que seu futuro?


Geralmente o que sobra, ou seja, o resto do seu rendimento ao final do mês é o que será destinado para investir em você mesmo. Seja para investir em conhecimento com cursos e livros ou em ativos geradores de renda.


A pergunta é: por que você não é a prioridade? Reflita sobre fazer uma nova conta, comprar um novo tênis, gastar em festas e bebidas, elas podem fazer parte de sua vida, afinal o lazer é importante, no entanto, o resto ou o que sobra do seu salário é que deve ser direcionado neste sentindo.


Portanto, se pague primeiro, seu futuro deve ter prioridade neste processo. Entendo que o seu momento pode não ser favorável, por isso, antes de atingir este nível, foque sua energia e atenção no controle de suas finanças, saiba exatamente seu orçamento mensal, controle e planeje de maneira eficiente, e será possível conseguir este objetivo.


Geralmente não se trata de quanto se ganha, mas sim do quanto se gasta sem controle. Há muitas pessoas com renda acima de 10 mil por mês endividadas e buscando empréstimos, enquanto pessoas com muito menos conseguem poupar e investir. Qual você quer ser?


Deste modo, não negligencie este terceiro item – Se pague primeiro!

4 – Reserva de Emergência


Antes de iniciar os investimentos, sejam eles financeiros ou imobiliários, até mesmo empreender, tenha uma reserva de emergência estruturada e pronta para te salvar em momentos que fogem do controle.


Você quer entender melhor o poder da RE? Clique aqui, separamos tudo que você precisa saber sobre RE.


5 – Invista bem seu Dinheiro


Há diversas maneiras de investir seu dinheiro, porém iremos mencionar os investimentos financeiros – renda fixa e variável.


Se o objetivo é a liberdade financeira, o investimento deve ser uma das principais prioridades. Ele será capaz de fazer seu dinheiro trabalhar para você, poderá multiplicar seu patrimônio e também ser a principal fonte de renda, embora claro, será preciso tempo e muita disciplina para que isso ocorra.


Antes de mais nada, seu planejamento deve considerar os tipos de objetivos, ou seja, definir os de curto, médio e longo prazo. Com o objetivo de determinar quanto será preciso aportar e quais os tipos de investimentos devem ser utilizados.


Inclusive, todo investidor deve entender que os riscos estão relacionados com a capacidade de rendimento, ou seja, maior o risco maior a probabilidade de ganhos. A renda variável, como o próprio nome destaca, é variável, e não se pode garantir o ganho e nem as perdas. Por isso são indicados para os objetivos de longo prazo, aqueles sem a pretensão de serem resgatados. Procure investir em boas empresas e tenha paciência, este tipo de investimento não caminha em linha reta, pode oscilar tanto para cima como para baixo, assim saiba lidar com ela e tire vantagens destas oscilações.


O investimento para objetivos de curto e médio prazo devem ser direcionados para a renda fixa. Eles possuem geralmente rendimentos menores, embora sejam seguros e previsíveis. Inclusive a Reserva de emergência deve ser guardada na renda fixa, pois ela precisa ser acessada de maneira fácil e rápida.


Por fim, uma boa carteira de investimentos considera a diversificação. Distribua seu patrimônio em diferentes tipos de investimentos, renda fixa, renda variável, investimentos nacionais e internacionais, tendo como objetivo minimizar os riscos e as chances de perder dinheiro.


Outro aspecto importante para um investidor de longo prazo é escolher boas empresas para sua carteira de investimentos. Conseguir selecionar estes ativos nem sempre é tarefa simples, embora com conhecimento em contabilidade voltada para investidores - esse fardo passa a ser um diferencial. Neste sentindo, saber ler, interpretar e analisar um demonstrativo financeiro pode ser o fator diferenciador entre um investidor "modinha" para um profissional com domínio do que faz.



Separamos para você uma ótima oportunidade de investimento, este em seu conhecimento. Clique aqui e saiba mais sobre este curso!



6 – Reinvista seus Lucros/Dividendos

Uma vez investido seu dinheiro, você perceberá que algumas aplicações distribuem lucros, como por exemplo ações e fundos imobiliários. É como ganhar um “novo dinheiro”, uma renda extra. E é a respeito disso que o sexto item trata: reinvista seus lucros/dividendos.


Você pode ficar tentado a resgatar esses rendimentos e gastá-los, afinal é uma renda ganha sem a necessidade de seu trabalho físico para consegui-los. Mas, lembre-se do processo e que o objetivo é de longo prazo.


Reinvista seus dividendos em mais aplicações geradoras de renda, some aos seus aportes mensais, a ideia é adquirir mais e mais ativos geradores de renda para aumentar sua renda passiva.


Esse processo é gratificante, imagine receber mês após mês seus lucros com a possibilidade de reinvestir para aumentar ainda mais essa renda, neste momento que se percebe - o processo é lento mais eficiente.

7 – Ganhe Mais

Para alguns o objetivo é alcançado mais rápido do que para outros, mesmo as etapas sendo as mesmas, no entanto ganhar mais é importante para acelerar o processo da liberdade financeira.


Quanto mais se ganha e investe, mais os juros compostos agem e maiores são as chances de aumentar a renda passiva, que poderá ser reinvestida. Visualize este processo sendo validado durante os anos, e o resultado será como uma “bola de neve” cada vez maior, levando a uma maior velocidade para alcançar o objetivo.


Por isso vale destacar sobre a importância de obter maiores rendimentos, seja empreendendo, realizando trabalhos extras, melhorando seu salário, conseguindo uma promoção, entre outros. Procure manter-se sempre ativo, estudando e se desenvolvendo, buscando informação e oportunidades, uma vez que estes fatores são importantes para a caminhada da independência financeira.

Como visto, não há segredo para o sucesso. Crie metas, objetivos, deseje e tenha ação. Faça acontecer!


Começar é o passo mais determinante, não importa o tamanho, concentre-se em agir e tenha disciplina. Foque no processo, visualize o resultado e siga em frente, a liberdade financeira é totalmente possível de ser obtida e está logo aí na sua frente.


Se você gostou e quer aprender ainda mais sobre Educação Financeira, fique conosco que estamos oferecendo ótimos conteúdos agregadores para você.



Lembramos que o estudo e dedicação devem ser contínuos para sua educação financeira. A respeito disso, podemos afirmar que quanto mais você aprende sobre o assunto, mais fácil será gerenciar seu patrimônio e assim, fazê-lo rentabilizar melhor. Por esta razão, confira também esses outros artigos que separamos para você!
3,207 visualizações3 comentários

Posts recentes

Ver tudo