• Modular Cursos

Os 5 Sentidos da Inspeção

Atualizado: 30 de Nov de 2020

Uma das principais ferramentas da manutenção é a inspeção. E o grande segredo da inspeção, além do bom planejamento, é um bom inspetor. E para isso é necessário o uso dos cinco sentidos da inspeção. Você sabe quais são?



Vamos ver cada um destes sentidos:


1 Visão crítica: ou seja, treinar seus olhos para ver e achar os problemas. É necessário realmente dar atenção a cada detalhe, pois os problemas às vezes podem parecer normais, ou até simples demais para gerar uma preocupação, mas de fato a maioria dos grandes problemas começam pequenos. Por isso, ter uma visão crítica é fundamental para uma boa inspeção.


2 Ouvido afinado: significa treinar nossos ouvidos para ouvir o ruído normal e o ruído anormal. Saber se algo está bom às vezes é mais fácil do que ouvir se algo está ruim, por isso o ouvido afinado deve reconhecer não só o que está errado, mas também os ruídos que mostram que a máquina está operando de forma correta.



3 Tato técnico: ou seja, treinar nosso tato, nossas mãos, a serem uma ferramenta técnica. Nossas mãos são muito sensíveis e podem facilmente identificar vibrações, anormalidades em superfícies e diferenças de temperatura. E devem ser técnicas, pois não se pode colocar as mãos em algo que possa vir a causar ferimentos ou fraturas. Assim, as mãos devem ter a habilidade técnica de saber onde tocar, como tocar e como identificar as anormalidades.


4 Olfato treinado: ou seja, treinar nosso olfato a colaborar com os outros sentidos. Podemos ver que há uma mancha em uma placa metálica, ao aproximar as mãos sentimos que está quente, e ao sentir o cheiro, identifica-se o cheiro de queimado, o que leva a um diagnóstico mais completo. Em uma inspeção, podemos facilmente nos treinar a sentir cheiros de queimado, vazamentos de gazes ou fluidos, saturações de óleos e fluidos, entre outros.


5 Língua comprometida: ou seja, falar ou transmitir as informações levantadas nas inspeções, de forma a se mostrar comprometido com a resolução dos problemas encontrados. Sem a comunicação eficaz entre os responsáveis, dificilmente haverá resolução dos problemas.

Mas do que adianta ser um excelente inspetor se a inspeção não for bem programada? Para isso é necessário que o PCM faça um excelente plano mestre de manutenção, uma boa OS de inspeção de rota, capriche nos checklists, nos POPs e no cronograma do técnico. Para fazer tudo isso com perfeição, dê uma olhada no curso de PCM e resolva seus problemas com inspeção.


Veja mais, clique na imagem:




309 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo